Loading...
PRESTAÇÃO DE CONTAS

SINDALESC economiza e aumenta o caixa da entidade em 71% em um ano

O Conselho Fiscal do Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Sindalesc) apresentou na terça-feira (27) a prestação de contas da entidade aos servidores sindicalizados. Além de demostrar transparência, o objetivo desse encontro foi apresentar um balanço das transações financeiras realizadas pelo sindicato no período de abril de 2017 a fevereiro de 2018. A assembleia aconteceu no Plenarinho Paulo Stuart Wright e contou com a presença de quase 100 associados que aprovaram por unanimidade as contas do sindicato.

A reunião foi conduzida pelo presidente do Conselho Fiscal Luiz Eduardo Souza, o presidente Diego Vieira de Souza e o tesoureiro Nelson Henrique Moreira. A geração de receita entre abril de 2017 e fevereiro deste ano, somou R$ 578.375,19 e teve um total de despesas em R$ 443.785,55, o que gerou uma economia de 23,3% em caixa. Um ponto positivo nesse aumento de receita foram os 62 servidores que estavam afastados e voltaram para o quadro de sindicalizados em reconhecimento ao trabalho realizado pela atual diretoria.

Os presentes receberam um resumo detalhado das contas do Sindalesc no período, com valores e porcentagens das receitas e despesas, para que todos pudessem visualizar o impacto das ações que estão acontecendo dentro do sindicato. “Assumimos a gestão do Sindalesc – em abril de 2017 – com R$ 188.635,32 e fechamos este primeiro ano com R$ 323.224,96, um acréscimo de 71% no caixa, o que demonstra a economia realizada pela atual administração”, destacou Luiz Eduardo.

Entre as despesas que tiveram maior impacto, custos com serviços advocatícios consumiram quase 10% desse total. Foi desembolsado mais de R$ 42 mil, sendo 25% desse valor pago a Nazário Advogados Associados – que prestou assessoria jurídica até julho de 2017 – e 75% para Prade & Prade Advogados Associados – contratada a partir de agosto para atender as demandas do sindicato e também a dos associados.

Outra despesa significativa foi o custo com os Correios, em torno de R$ 17 mil. “Quando assumimos teve aquela polêmica do cartão de crédito e uma das despesas que vieram foi com os Correios”, esclareceu Luiz Eduardo. Parte desse montante foi herdado da gestão anterior, que acumulou uma dívida de R$ 11.364,50 no cartão para a distribuição da revista com foco nas ações da gestão 2014/2017. Os outros R$ 6.185,70 foram investidos pela atual administração, com envio de informativos mensais e demais campanhas postadas para os associados.

Luiz Eduardo também frisou o pagamento com custas judiciais, decidido em reunião de diretoria realizada em 5 de março, que determinou que os processos movidos coletivamente serão custeados pelo sindicato. Essas despesas de cunho coletivo somaram R$ 19.803,70, pouco mais de 61% desse valor foi usado para cobrir metade dos honorários advocatícios pela vitória nos mandados de segurança interposto na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI-5441). “Temos que agradecer a Afalesc que dividiu conosco essa conta, o Sindalesc pagou R$ 12 mil e a Afalesc pagou R$ 12 mil já que é uma vitória de todos e não fizemos distinção e cada entidade pagou uma parte”, destacou.

Os associados foram lembrados que os balancetes mensais do sindicato estão disponíveis aqui no site do Sindalesc e que também podem ser solicitados na área administrativa da entidade. Todas as despesas são auditadas pelo contador da entidade e todos os impostos e despesas desse período estão quitados.

One comment

Deixe seu comentário